Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

A Terra está a girar mais depressa e já ocorreram dias com menos de 24h

terra-girar-essencia-ambiente

Foi preciso esperar 50 anos para vivenciarmos, novamente, o dia mais curto de sempre. Desde 1970, que este fenómeno não acontecia na Terra. Ocorreu de novo no dia 19 de julho de 2020, o dia mais curto registado nas últimas cinco décadas, com menos 1,4602 milissegundos do que os usuais 86.400 segundos que compõem as 24 horas de um dia.

Este acontecimento está a ser debatido um pouco por todo o mundo, uma vez que pode ser necessário acrescentar um segundo aos relógios atómicos para estarem alinhados com a correta rotação da Terra. Isto porque a Terra está a girar mais depressa sobre o seu próprio eixo. Contudo, não é nada que impressione os cientistas, visto que a rotação do planeta varia tendo em conta o efeito gravitacional da Lua, a erosão das montanhas e os fenómenos catastróficos como tsunamis, furacões e erupções vulcânicas.

E por isso mesmo, para que a nossa medição do tempo esteja alinhada com a velocidade da rotação da Terra é necessário, muitas vezes, acrescentar um segundo extra, isto é, o segundo bissexto ao Tempo Universal Coordenado (UTC). De 1970 até ao momento, esse fenómeno já ocorreu 27 vezes, o último na passagem de ano de 2015 para 2016.

PODERÁ SER NECESSÁRIO RETIRAR TEMPO AOS RELÓGIOS ATÓMICOS

Uma outra novidade é que os relógios atómicos, ao longo deste ano, podem acumular até 19 milissegundos de atraso em relação ao verdadeiro movimento da Terra em torno de si próprio. Um acontecimento que nunca ocorreu em 50 anos de medição atómica do tempo.

Esta será uma decisão do Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra, em França, que controla a passagem do tempo com recurso a 260 relógios atómicos espalhados pelo planeta.

No mundo tecnológico estes ajustes podem causar problemas, uma vez que os satélites e alguns computadores dependem da contagem do tempo em relógios atómicos para funcionarem. Foi o caso da Linux, LinkedIn, Mozilla, Qantas e FourSquare, em 2012, quando se acrescentou um segundo biossexto, pois ocorreram falhas de funcionamento nos seus sistemas até serem ajustadas em função da nova hora.