Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Upcycling: Do velho faz-se novo na Escola de Moda do Porto

Transformar peças de vestuário que iriam para o lixo em novas peças foi o desafio lançado pela MyCloma – uma plataforma de venda de vestuário em segunda mão – aos alunos da Escola de Moda do Porto.  Os objetivos deste projeto são claros: criar peças de upcycling apostando na criatividade e conhecimento técnico dos alunos e promover a economia circular minimizando o impacto do desperdício têxtil.

Os alunos do 3.º ano do curso profissional de Design de Moda lançaram mãos à obra e estão a criar peças únicas, exclusivas e que representam a visão do seu autor. Após serem avaliadas as peças que iriam para o lixo, inicia-se o processo de desmontagem e transformação. Do desenho à modelação e confeção tudo é pensado com foco na sustentabilidade.

Para Matilde Rocha, Diretora da Escola de Moda do Porto, esta é uma oportunidade de oferecer aos jovens criativos um contacto mais próximo com a realidade empresarial”. Mostrando-se “orgulhosa no caminho que a Escola de Moda do Porto tem vindo a trilhar no ensino da moda, não só na dotação dos alunos de uma maior consciência ambiental como também na constante aproximação destes à realidade empresarial que os espera após a conclusão dos seus estudos”.

Para além de sustentável, estamos também perante um projeto solidário: a verba angariada com a venda destas peças será doada a uma instituição de solidariedade social. As peças vão poder ser adquiridas na plataforma MyCloma.

UPCYCLING: REUTILIZAÇÃO CRIATIVA

O upcycling, não sendo um processo novo, está a ganhar cada vez mais terreno junto das marcas de vestuário e calçado. Exemplo disso, são os projetos já implementados pela Levis, que através de estilistas de vários países promoveu a reciclagem de stocks parados e peças antigas, ou pela Louis Vuitton, que pegando num modelo de ténis da coleção Outono/Inverno de 2019 vai reinventar um novo modelo que será apresentado na próxima coleção. Também a estilista tailandesa Wang Li-ling reaproveitou materiais e metais dispensados pelo comércio num dos seus mais recentes desfiles.

Perceber de que forma a moda sustentável pode potenciar a viragem numa das indústrias mais poluentes é um dos desafios que enfrentamos atualmente. Indo de encontro a essa preocupação, a Comissão Europeia publicou recentemente um roteiro que traça a transição da indústria têxtil local rumo a uma maior circularidade.