Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

UC: Novos materiais sustentáveis para aplicação na indústria automóvel

industria-automovel-uc-essencia-ambiente

Uma equipa de investigadores do Departamento de Engenharia Química (DEQ) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em colaboração com a empresa TMG Automotive, está a desenvolver novos produtos com baixas emissões de compostos orgânicos voláteis para aplicação na indústria automóvel.

Estas atividades têm vindo a ser desenvolvidas no âmbito do projeto “DeVOC – Novos produtos plastificados funcionais, mais verdes e sustentáveis, à base de PVC, e com baixas emissões de compostos orgânicos voláteis (VOCs)”, liderado pela TMG Automotive em co-promoção com o Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e dos Produtos da Floresta (CIEPQPF), do DEQ.

OBJETIVOS DO PROJETO DEVOC

Hermínio Sousa, responsável pelo projeto na FCTUC, refere que “o principal objetivo deste projeto é desenvolver processos inovadores, tendo por base o uso de matérias-primas mais sustentáveis e de processos mais verdes e seguros, que permitam a obtenção de materiais plastificados com baixas emissões de compostos orgânicos voláteis, os chamados VOCs, que são responsáveis por aquilo a que, normalmente, associamos ao cheiro a carro novo.”

“O foco é reduzir o total destas emissões em cerca de 25%, bem como reduzir ao mínimo a emissão de certos VOCs específicos, que são considerados pela indústria e pelos consumidores como sendo os principais responsáveis por alguns dos odores mais indesejáveis e desagradáveis Esta redução é perfeitamente justificada por questões relacionadas à perceção sensorial dos consumidores em termos dos odores emitidos e da qualidade do ar interior nos veículos automóveis”, acrescenta Hermínio Sousa.

Segundo a equipa da FCTUC, devido aos resultados promissores obtidos até então, ainda não podem ser revelados publicamente muitos detalhes sobre as abordagens inovadoras utilizadas. “Neste momento, estamos a tratar de várias questões relacionadas com a proteção da propriedade industrial criada neste projeto. No entanto, podemos revelar que conseguimos obter reduções globais de emissões de VOCs que variam entre 10 e 40% e, em alguns compostos voláteis específicos, responsáveis pelos odores mais indesejáveis, estamos a conseguir também reduções muito significativas”, assegura a equipa.

“Os resultados estão já consolidados, tanto à escala laboratorial como à escala semi-piloto. Além disso, os mecanismos fundamentais associados a estes resultados estão a ser estudados por simulação molecular, o que é uma abordagem tipicamente inexplorada em projetos de cariz industrial”, conclui a equipa.

Com anos de experiência em materiais de superfície para interiores de automóveis, a TMG Automotive está cada vez mais consolidada como líder em soluções inovadoras e sustentáveis, atendendo às normas cada vez mais rigorosas do mercado automóvel. De acordo com esta empresa, o crescimento da indústria automobilística na Ásia tem impulsionado a procura por uma melhor qualidade do ar no interior dos veículos, sendo uma preocupação crescente e um verdadeiro desafio para este setor a emissão de VOCs pelos materiais poliméricos existentes no interior do veículo.

Este projeto, financiado pelo Programa Portugal 2020/COMPETE 2020 (Projetos em co-promoção SII&DT – I&D Empresarial), reflete e complementa uma longa e frutífera parceria estratégica entre a TMG Automotive e alguns dos investigadores do CIEPQPF da FCTUC nele envolvidos, nomeadamente Hermínio Sousa, Ana Dias, Pedro Simões e Maria da Graça Rasteiro.

Um excelente projeto que reduz as emissões de VOCs e alcança a neutralidade olfativa nos interiores dos automóveis, ao mesmo tempo que procura uma maior sustentabilidade nos produtos, promovendo a economia circular e a proteção do ambiente.