Sea the Plastic: um projeto que reduz o plástico no Atlântico

Sea-the-plastic-oceano-atlantico-plastico-essencia-ambiente

Com o objetivo de alertar e sensibilizar a comunidade global para os impactos nefastos causados pelos microplásticos, dispersos por todo o Atlântico, dois jovens velejadores desenvolveram o projeto Sea the Plastic e embarcaram numa viagem muito especial. A iniciativa conta com o apoio do Rotary Club Bruxelas Altitude e pretende implementar mudanças duradouras um pouco por todo o mundo. A expedição passou agora por Portugal e os velejadores partilharam a sua experiência e deixaram o seu testemunho numa iniciativa desenvolvida pelas CIP’s e pelo Rotary Club do Porto. 

SENSIBILIZAR, RECOLHER AMOSTRAS DE PLÁSTICO E ENCARAR AS DIFICULDADES COMO OPORTUNIDADES 

Os desafios do mar, do ventodas alterações meteorológicas e da covid-19 não impediram Damien e Alien, fundadores do projeto, de partir nesta aventura. Durante a viagem pelo Atlântico, estes aventureiros belgas irão, sobretudo, consciencializar a população para a problemática da poluição de plástico nos oceanos, através das redes sociais, de workshops e de reuniões. Ao longo de toda a jornada, estes jovens vão desenvolver ações em escolas, de modo a contribuir para a consciencialização global do problema.  

Mudar hábitos e encarar as dificuldades como oportunidades são os lemas desta iniciativa, que ao longo de toda a viagem implementará a mudança através de ações de recolha de amostras de resíduos de plástico. As amostras geolocalizadas serão enviadas para o Ocean Eye que, posteriormente, pesará as partículas nos laboratórios EPFL. Os dados resultantes das amostras recolhidas irão ser transmitidos ao departamento GRID do Programa das Nações Unidas para o Ambiente e disponibilizados por todo o mundo, ajudando, assim, a expandir a informação sobre a poluição de plástico nos oceanos. 

Quando questionados sobre a situação que encontraram em Portugal, Alien e Damien referem “no Porto de Leixões encontramos muitos resíduos de plásticos na água. Enquanto que no rio Douro e no rio Tejo não vimos plástico a flutuar na água, mas o verdadeiro problema é que existem microplásticos por toda a parte que não conseguimos ver.” Mas para os navegadores o problema é global e, por isso, alertam “muitas pessoas (no mundo todo) pensam que estão cientes do problema do lixo marinho, mas na verdade não percebem o quão grande e maciça é esta problemática. Toda a gente precisa de mudar AGORA os seus hábitos em relação ao plástico. 

As amostras de plástico recolhidas no Rio Tejo serão enviadas para o Ocean Eye, que irá analisar as partículas destes resíduos e, posteriormente, colocar no mapa interativo do site sobre a poluição de lixo marinho pelo Atlântico. 

AS CIP’S E O ROTARY CLUB DO PORTO ACOLHERAM O DAMIEN E A ALIEN 

Descobrir novas culturas, pessoas e realidades, desafiando-os a cada dia, é também um objetivo para estes jovens. Por isso mesmo, as Comissões InterPaíses (CIP’s) e o Rotary Club do Porto acolheram estas personalidades, numa reunião, para discutirem os objetivos e as mudanças que podem ser implementadas através do projeto Sea the Plastic. 

Durante a conferência, os dois ativistas ambientais falaram da necessidade, urgente, de se combater os problemas ambientais, por todo o mundo, mas em especial nos oceanos. Em média, cerca de 70% do ar que respiramos é produzido pelos oceanos, fazendo deles o pulmão verde do Planeta. 

Ao consciencializar a comunidade para os problemas do plástico, reduzimos o risco de ameaça de 90% das espécies marinhas que vivem nos oceanos, que muitas das vezes confundem este resíduo com comida, acabando por afetar toda a cadeia alimentar. 

As CIP’S e o Rotary Club do Porto através desta iniciativa criaram, assim, oportunidades para envolver pessoas, promovendo o compromisso global, o companheirismo, a paz e mudanças duradouras para o meio ambiente. 

COMO AJUDAR NO COMBATE À POLUIÇÃO DOS OCEANOS 

Estes aventureiros já passaram pela Bélgica, pelo Reino Unido, por França, por Espanha e também por Portugal, alargando a rota pelas ilhas. Esta jornada ambiental irá estender-se pelas Canárias, pelas Bermudas, regressando, por fim, ao país de origem, a Bélgica.  

No entanto, gostariam de alargar a sua rota até Monte Real. Para isso, precisam de apoios financeirosde novos equipamentos e também de pessoas que ajudem a consertar e preparar o veleiro para as próximas aventuras. 

Alien refere que “as questões climáticas atuais e a proteção do meio ambiente são os meus principais lemas e, por isso mesmo, gostaria de contribuir, fazendo a minha parte, para a proteção ambiental, especialmente nos oceanos. Desta forma, decidi dedicar o meu tempo a esta causa e interromper, temporariamente, a minha carreira. 

Esta iniciativa é um exemplo de como podemos mudar hábitos e implementar ações que promovam comportamentos responsáveispreventivos na proteção do ambiente. Cada esforço pode ser recompensado para salvar o Planeta deste flagelo ambiental que se denomina por PLÁSTICO. 

 

Partilhar artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Get started

If you want to get a free consultation without any obligations, fill in the form below and we'll get in touch with you.