Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Guterres afirma que o relatório da ONU é um alerta vermelho para o planeta

sustentabilidade-essencia-ambiente

Todas as nações devem redobrar os seus esforços e apresentar planos  de ação climática mais fortes para cumprir o Acordo de Paris. Esta foi a conclusão do relatório Síntese Preliminar das Contribuições Nacionalmente Determinadas – NDC, que afirma que a meta deve limitar o aumento da temperatura global em 2°C, até ao final deste século. O relatório UN Framework Convention on Climate Change – UNFCCC) avalia o progresso dos planos de ação climática nacionais, conhecidos como Nationally Determined Contributions antes da 26ª sessão da Conferência Climática da ONU – COP26, que se realizará em novembro de 2021, emGlasgow.

Apesar da maioria das nações ter aumentado as metas dos seus objetivos, o impacto conjunto apenas só deve reduzir em 1%, até 2030. Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, para atingir a meta de temperatura de 1.5 °C as emissões teriam que cair cerca de 45%.

SECRETÁRIO-GERAL DA ONU PREOCUPADO COM AS POLÍTICAS ATUAIS

António Guterres, Secretário-geral da ONU, refere que “2021 é o ano do tudo ou nada para enfrentar a emergência climática.” Salientando, “os maiores emissores devem avançar com reduções muito mais ambiciosas para 2030”.

De acordo com António Guterres, os compromissos a longo prazo devem ser combinados com ações imediatas para lançar a década de transformação que as pessoas e o planeta precisam tão desesperadamente. Frisando, “a ciência é clara e o novo relatório deve servir como um alerta vermelho para o planeta.”

O relatório da UNFCCC, que analisa os planos de ação climática apresentados por 75 nações antes da cúpula do clima COP26, concluiu que as políticas atuais não chegam nem perto de cumprir as metas do Acordo de Paris, pelo que António Guterres destaca “o relatório da UNFCCC é um alerta vermelho para o nosso planeta. Mostra que os governos não estão nem perto do nível de ambição necessário para limitar as mudanças climáticas”.

Está é mais uma chamada de atenção para que possamos tomar medidas concretas para combater os atuais flagelos do meio ambiente. Se mudarmos mentalidades e padrões de comportamento podemos atenuar os fenómenos atmosféricos extremos no planeta.