Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Recicle Mais Pague Menos: Na Maia quanto mais se reciclar menos se paga

Na Maia https://essenciadoambiente.pt/livro-sustentabilidade-maia-essencia-ambiente/ , quanto mais se reciclar menos se pagará na tarifa de gestão de resíduos. O projeto pioneiro a nível nacional, Recicle Mais Pague Menos, tem como objetivo que os munícipes da Maia passem a pagar o valor justo pelos resíduos que colocam no contentor do lixo indiferenciado https://essenciadoambiente.pt/plogging-mangualde-essencia-ambiente/ , o que significa que, quanto mais reciclarem, menos vão pagar. Contrariando a tendência nacional, em que a tarifa de gestão de resíduos está indexada ao consumo de água, isto é, quanto mais água se gasta https://essenciadoambiente.pt/residuos-smart-lusagua-lanca-plataforma-inteligente-para-otimizar-recolha-de-residuos/ , mais se paga pela gestão dos resíduos, o Município da Maia passa a ser o primeiro do país a indexar a tarifa de pagamento da gestão de resíduos indiferenciados à sua produção. Na apresentação do projeto, o Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago realçou que “o ambiente é inequivocamente uma das mais importantes marcas distintivas da Maia moderna, que ousou inovar e apostar com arrojo numa nova geração de políticas para a sustentabilidade ambiental”. QUEM É ABRANGIDO POR ESTE MODELO Até ao final do ano, os munícipes abrangidos vão conseguir perceber a diferença entre a fatura atual, indexada ao consumo de água, e a fatura virtual, que vão passar a receber, que revelará a tarifa que pagariam calculada através do novo modelo. No início de 2022, o novo método de cálculo tarifário entrará efetivamente em vigor para 3500 habitações, cerca de 10 000 pessoas. Até ao final de 2024, o sistema deverá abranger todos os munícipes do concelho da Maia. Durante a primeira fase, que permitirá aos consumidores https://essenciadoambiente.pt/consumidores-valorizam-embalagens-cada-vez-mais-sustentaveis/ controlar e perceber como a sua mudança de hábitos de reciclagem pode influenciar a sua fatura de tratamento de resíduos, a Maiambiente irá destinar a instituições de solidariedade a diferença entre a tarifa efetivamente cobrada e a tarifa que resultaria do novo método de cálculo. Para o Presidente da Câmara Municipal da Maia “temos feito este percurso orientados por uma visão estratégica, científica e tecnologicamente bem apoiada, que foi pioneira. Prova disso mesmo é o facto da Maia se ter tornado num exemplo inspirador de boas práticas, que tem merecido o reconhecimento, mas também o interesse de municípios e instituições nacionais e internacionais que nos demandam para ver, in loco, as soluções e processos que concretizamos e temos em funcionamento para assegurar a nossa sustentabilidade ambiental”. Um caminho que se tem feito em conjunto com os munícipes da Maia e que António Silva Tiago destaca “fizemos juntos este caminho de consolidação da estratégia municipal para o ambiente, rumando à tão almejada sustentabilidade integral do território concelhio”. Não só um modelo tarifário mais justo que incentiva a reciclagem e a utilização dos ecocentros. Um excelente exemplo a seguir! https://essenciacompleta.pt/service/comunicacao-e-educacao-ambiental/

Na Maia, quanto mais se reciclar menos se pagará na tarifa de gestão de resíduos. O projeto pioneiro a nível nacional, Recicle Mais Pague Menos, tem como objetivo que os munícipes da Maia passem a pagar o valor justo pelos resíduos que colocam no contentor do lixo indiferenciado, o que significa que, quanto mais reciclarem, menos vão pagar.

Contrariando a tendência nacional, em que a tarifa de gestão de resíduos está indexada ao consumo de água, isto é, quanto mais água se gasta, mais se paga pela gestão dos resíduos, o Município da Maia passa a ser o primeiro do país a indexar a tarifa de pagamento da gestão de resíduos indiferenciados à sua produção.

Na apresentação do projeto, o Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago realçou que “o ambiente é inequivocamente uma das mais importantes marcas distintivas da Maia moderna, que ousou inovar e apostar com arrojo numa nova geração de políticas para a sustentabilidade ambiental”.

QUEM É ABRANGIDO POR ESTE MODELO

Até ao final do ano, os munícipes abrangidos vão conseguir perceber a diferença entre a fatura atual, indexada ao consumo de água, e a fatura virtual, que vão passar a receber, que revelará a tarifa que pagariam calculada através do novo modelo.

No início de 2022, o novo método de cálculo tarifário entrará efetivamente em vigor para 3500 habitações, cerca de 10 000 pessoas. Até ao final de 2024, o sistema deverá abranger todos os munícipes do concelho da Maia.

Durante a primeira fase, que permitirá aos consumidores controlar e perceber como a sua mudança de hábitos de reciclagem pode influenciar a sua fatura de tratamento de resíduos, a Maiambiente irá destinar a instituições de solidariedade a diferença entre a tarifa efetivamente cobrada e a tarifa que resultaria do novo método de cálculo.

Para o Presidente da Câmara Municipal da Maia “temos feito este percurso orientados por uma visão estratégica, científica e tecnologicamente bem apoiada, que foi pioneira. Prova disso mesmo é o facto da Maia se ter tornado num exemplo inspirador de boas práticas, que tem merecido o reconhecimento, mas também o interesse de municípios e instituições nacionais e internacionais que nos demandam para ver, in loco, as soluções e processos que concretizamos e temos em funcionamento para assegurar a nossa sustentabilidade ambiental”.

Um caminho que se tem feito em conjunto com os munícipes da Maia e que António Silva Tiago destaca “fizemos juntos este caminho de consolidação da estratégia municipal para o ambiente, rumando à tão almejada sustentabilidade integral do território concelhio”. Não só um modelo tarifário mais justo que incentiva a reciclagem e a utilização dos ecocentros. Um excelente exemplo a seguir!