Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Portugueses desperdiçam um milhão de toneladas de alimentos por ano

desperdicio-alimentar-essencia-ambiente

Os portugueses desperdiçam, anualmente, um milhão de toneladas de alimentos, o que equivale a quase 100 quilos por pessoa. Este é o alerta do “Movimento Unidos contra o Desperdício”, a propósito do desperdício alimentar. O Movimento refere, ainda, que também no resto do mundo os valores do desperdício alimentar são extremamente preocupantes.

De acordo com o Movimento Unidos Contra o Desperdício, estima-se, também, que em 2030 o impacto económico do desperdício alimentar será de 1.5 biliões de euros e, em termos ambientais, se o desperdício alimentar fosse um país, seria o 3.º maior emissor de gases com efeitos de estufa, com aproximadamente 10% do total das emissões de CO2 no Mundo. Desta forma, se nada for feito, até 2030, serão colocados no lixo 1.5 biliões de euros.

“Enquanto cerca de 1.600.000 portugueses vivem abaixo do limiar da pobreza – sendo que cerca de 360.000 têm carências alimentares -, estima-se que 1.000.000 toneladas de alimentos são desperdiçadas todos os anos – quase 100 quilogramas por cada português”, afirma o Movimento Unidos Contra o Desperdício, que tem como objetivo alertar para o desperdício e para a importância de se modificarem comportamentos.

CONTRIBUTO DO MOVIMENTO UNIDOS CONTRA O DESPERDÍCIO

Desde que surgiu e através dos seus parceiros, o Movimento já contribuiu para que toneladas de alimentos fossem reaproveitados e distribuídos por quem mais precisa, evitando que fossem desperdiçados.

No mundo, estima-se que um terço dos alimentos produzidos é desperdiçado, o que equivale a mais de 1,3 mil milhões de toneladas. “O desperdício alimentar é um problema de todos. E é por isso que qualquer que seja a solução, ela tem de partir de todos”, afirma o Movimento.

Um movimento que não visa substituir nenhum ator, que dá palco a todos os que lutam ativamente contra o desperdício alimentar e quer tornar habitual o aproveitamento de excedentes, alertar para perdas e desperdícios, incentivar e facilitar a doação das sobras e promover o consumo responsável.  É urgente combater o desperdício alimentar, consumindo com responsabilidade, mas também produzindo de forma sustentável.