Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Portugal quer consumidores como parte ativa da transição energética

transiçao-energetica-consumidores-essencia-do-ambiente

Com o intuito de diminuir os custos dos consumidores, reduzir as emissões de gases com efeito de estufa combater a pobreza energética e delimitar, significativamente, os consumos primários de energia, o Governo definiu uma nova política climática, como prioridade, para a eficiência energéticaDesta forma, Portugal terá de atingir metas de energia cumulativas, entre 2021 e 2023, equivalentes a novas economias anuais de 0,8% do consumo de energia final, com o propósito de atingir a neutralidade carbónica  

INSTRUMENTOS PARA A EFICIÊNCIA DA TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

Por forma a promover a digitalização e inteligência das redes como instrumentos da transição energética e da ação climática, o Governo desenvolveu um diploma onde define uma regulamentação adicional para as redes de aquecimento e de arrefecimento urbano e a submedição e a repartição dos custos de aquecimento, de arrefecimento e de água quente para uso doméstico. Desta feita, devem ser instalados contadores individuais para medir os diferentes consumos de energia em edifícios de habitação, em edifícios mistos e em edifícios de comércio e serviços.  

Contudo, nestes edifícios que sejam alimentados por uma rede de aquecimento e de arrefecimento urbano ou sejam alimentados por sistemas próprios comuns de aquecimento ou de arrefecimento, o Governo estabelece que deve ser garantido o rigor na contagem do consumo individual. 

Todos os edifícios que estejam equipados com uma fonte de aquecimento central para a água quente, para uso doméstico, ou alimentados por sistemas urbanos de aquecimento, o diploma determina, ainda, que terão de ser instalados contadores individuais. 

Estas medidas de eficácia pretendem, assim, tornar os consumidores de Portugal como uma parte integrante e ativa da transição energética e, sobretudo, deixar o alerta para a consciencialização na redução dos gastos de consumo, priorizando o combate da pobreza energética.