Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Lisboa com plano de ação climática com vista à neutralidade carbónica

pac-2030-lisboa-essencia-ambiente

“Uma cidade comprometida com o futuro” é assim que se caracteriza o PAC 2030 – Plano de Ação Climática de Lisboa. De acordo com o mesmo, Lisboa tem uma posição muito clara em matéria de combate às alterações climáticas, contudo, afirma que todas as cidades têm uma responsabilidade acrescida na criação de soluções de mudança e, felizmente, têm, também, capacidade e vontade para criar essas soluções.

Foi por isso que Lisboa criou o PAC 2030. Uma forma de se comprometer com o seu próprio futuro sustentável. Para isso, compromete-se a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 70%, até 2030, atingindo a neutralidade climática, em 2050, a adaptar a cidade a eventos climáticos extremos, aumentando a sua resiliência a riscos climáticos e a capacidade de resposta a crises e choques. E ainda pretende combater as desigualdades, garantindo uma transição justa e inclusiva, mitigando a erradicação da pobreza energética.

É assim que a capital portuguesa pretende ser, adaptando-se aos atuais desafios ambientais. Desta forma está adaptada para o presente e preparada para o futuro.

LISBOA COM UMA RESPOSTA ADAPTATIVA PARA O FUTURO

De acordo com o PAC 2030 Lisboa, de entre as alterações climáticas projetadas para Lisboa até final do século, prevê-se que a principal ameaça climática para a cidade seja o aumento da temperatura média anual.

Em contrapartida, é, ainda, expetável a diminuição da precipitação média anual, antevendo-se o agravamento das situações de seca e de escassez de água. Contudo, esperam-se outros cenários como a subida do nível médio das águas do mar, o aumento de fenómenos extremos, em particular de precipitação intensa, temporais e vento forte com rajadas, o que potenciará a ocorrência de inundações e de danos materiais.

Prevê-se, ainda, um agravamento de episódios severos, com a combinação de diferentes cenários, como inundações rápidas, queda de granizo, sobrelevação de maré e ocorrência de tempestades.

O Plano de Ação Climática Lisboa 2030 resulta, assim, do compromisso com o C40 Cities e pretende constituir-se como um instrumento de integração e gestão das políticas e instrumentos da cidade em matéria de mitigação, adaptação, erradicação da pobreza energética, promovendo qualidade de vida e bem-estar.  Por fim, este plano vai permitir centralizar as crescentes necessidades de informação, no âmbito dos compromissos em matéria de ação climática.