Procurar
Close this search box.
Procurar
Os mais lidos

Bienal de Cerveira aposta na arte contemporânea como lugar para pensar o mundo

bienal-cerveira-sustentabilidade-essencia-ambiente

Refletir sobre questões urgentes como o ambiente e a sustentabilidade é o desafio que é lançado, pela Fundação Bienal de Arte de Cerveira, à comunidade artística e ao público em geral na XXII Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Sob o tema “𝗪𝗘 𝗠𝗨𝗦𝗧 𝗧𝗔𝗞𝗘 𝗔𝗖𝗧𝗜𝗢𝗡 / 𝗗𝗘𝗩𝗘𝗠𝗢𝗦 𝗔𝗚𝗜𝗥!”, o certame vai decorrer de 6 de julho a 31 de dezembro 2022, em Vila Nova de Cerveira.

Assinalando 44 anos, a bienal de arte mais antiga da Península Ibérica, uma das estruturas de programação artística contemporânea mais relevantes do país, quer agir e colocar os artistas a pensar o mundo e as suas emergências globais, nomeadamente, questões globais fraturantes, como a sustentabilidade, as alterações climáticas, a equidade entre géneros e etnias e a urgência da paz. No certame serão apresentadas 96 obras de 77 artistas, representando 18 países.

Em 2022, a Bienal Internacional de Arte de Cerveira vai manter o formato adotado desde a primeira edição (1978), um local de encontro, debate e investigação de Arte Contemporânea, num programa concertado com o Ensino Superior das Artes a nível Europeu. O evento envolve para além do concurso internacional: representações de universidades, escolas superiores e politécnicos das áreas artísticas, artistas convidados nacionais e estrangeiros, homenagens, espetáculos, conferências e debates, ateliers e workshops e visitas guiadas. Mas prosseguirá, também, o processo de transformação digital que marcou a edição de 2020, mantendo um formato “híbrido”, que conjuga exposições e eventos de fruição presencial, com atividades no meio digital.

WE MUST TAKE ACTION #1

Ainda em tempo de pré-evento, o pontapé de saída para a reflexão foi dado no dia 18 de março, com a conferência internacional “WE MUST TAKE ACTION #1: a arte contemporânea a pensar e a agir sobre o mundo: o papel das bienais”.

De acordo com a organização “a conferência pretende iniciar, a partir da Vila das Artes, a criação de uma rede de bienais internacionais de arte e contou com a participação de representantes de diversas estruturas de criação e programação artísticas e culturais, nacionais e internacionais, com destaque para outras bienais, tais como Havana (Cuba) ou São Paulo (Brasil), e ainda artistas, curadores e representantes do poder político com histórico de envolvimento em projetos congéneres”.

Iniciativas como esta demonstram que a educação e a sensibilização ambiental podem e devem estar integradas de forma interdisciplinar, despertando diversos públicos para as problemáticas ambientais. O evento integra a candidatura “Fundação Bienal de Arte de Cerveira: a Arte Contemporânea integrada na sociedade e no mundo” (2020 – 2021 – Apoio Sustentado – Artes Visuais), que conta com o apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes.